Pioneiro alimentos

Notícias

  • O caminho do pintainho

    Como é a criação dos frangos no Grupo Pioneiro
    Você sabe como um frango é criado antes de chegar a nosso abatedouro? Vamos contar todo o caminho do frango, desde quando ele é um pintainho até o dia em que chega ao Abatedouro. É um processo com diversas boas práticas e alta tecnologia para garantir a saúde das aves e a qualidade de nossos produtos. Todo o processo de criação das aves é realizado pelo Sistema de Integração, em que diversos produtores se associam ao Grupo Pioneiro, que fornece a ração e os pintainhos e fiscaliza todo o trabalho nos aviários. “Os produtores, também chamados de Integrados, devem seguir todas as regras do Manual de Boas Práticas de Manejo, que define como o local deve ser construído e preparado e como as aves devem ser criadas. Somente após isso, eles recebem a ração e os pintainhos”, explica Adriano Moreira do Nascimento, supervisor técnico do Grupo Pioneiro. A quantidade de aves recebida em cada aviário depende do tamanho e da modernização dos equipamentos em cada um. “Em aviários com alta tecnologia é possível chegar a uma lotação máxima de 44 Kg/m2. Geralmente, é menos que isso”, conta. Essa regra existe para que os frangos possam crescer saudavelmente e de maneira mais tranquila. Até o dia do abate, que geralmente ocorre entre 44 e 48 dias de idade das aves, os produtores são responsáveis pela alimentação, bem-estar, saúde e higiene das aves e aviários – tudo sempre de acordo com o manual de boas-práticas e orientado por profissionais de nossa empresa. Após os frangos serem levados para o abate, o processo é novamente iniciado com a limpeza e desinfecção do aviário e outros preparativos necessários, que vão desde troca das “camas” (local onde ficam os pintainhos) até a reorganização de equipamentos, para receber um novo lote de pintainhos.
    Hoje o Grupo Pioneiro tem um sistema de integração com a participação de 213 produtores, que administram 332 aviários. Assim, é possível ter um abate mensal de cerca de 3 milhões e 800 mil aves. Segundo Nascimento, todo esse sistema de integração é muito importante para uma produção de aves de corte, pois propicia mais condições de expansão para todos. “A empresa dedica seus esforços e recursos na produção das aves, insumos, industrialização e comercialização. Já os Integrados fazem investimentos em aviários, equipamentos e cuidados de manejo com as aves. Isso atrai investimentos para a atividade, dando mais condições para o crescimento e a qualidade de produção”, salienta o supervisor técnico do Grupo Pioneiro.